Archive for março, 2011

Curso de Radiestesia com Sérgio Areias

Radiestesia aplicada na área da saúde é uma disciplina capaz de medir padrões de desequilíbrio com resultados consistentes, tanto na diagnose quanto no tratamento.

Conteúdo

Módulo I

  • História e evolução da Radiestesia na área da saúde
  • Conceitos e práticas de Radiestesia Básica
  • Os três estados primários de desequilibrio
  • Causas invisíveis de agressão ao corpo físico
  • Análise de causa e efeito
  • Etiopatogenia Energética
  • Patogenicidade das radiações
  • Prática com o pêndulo
  • A régua biométrica de “Bovis”
  • Conduta terapêutica no uso da Radiestesia
  • Corpo bioplasmático
  • Código de Ética

Módulo II

  • Sistemas integrais de saúde
  • Campos Morfogenéticos
  • Corpos sutis: etérico, emocional, mental e espiritual
  • Chacras e Meridianos (noções básicas)
  • Fitoterapia por Radiestesia
  • Caminho para medição: Global, específica e auxiliar
  • Remédios vibracionais
  • Uso prático da régua biométrica
  • Protocolo de atendimento
  • Radiônica

Datas

Módulo I -30 de abril e 01 de maio de 2011

Sábado: 9h às 12h/ 14h às 18h

Domingo: 9h às 13h

Módulo II – à combinar

Investimento

R$ 450,00 (por módulo) – dividido em três parcelas mensais.

Local

Rua Padre João Gonçalves, 129- Vila Madalena- São Paulo – SP

Informações

Para inscrições e maiores informações, entrar em contato:

(11) 3814-0700

(11) 5052-7130

Add comment março 22nd, 2011

Curso de Shiatsu Emocional com Arnaldo Carvalho

Início 22 de Maio (Domingos quinzenais)
na Cítara Saúde (Vila Madalena, São Paulo)

Shiatsu é uma terapia originada no Japão e desenvolvida em diferentes partes do mundo. Alia estudo científico à sabedoria tradicional do oriente.

O Shiatsu Emocional é uma abordagem direcionada à percepção psicossomática do Shiatsu.Prof. Arnaldo pratica Shiatsu há 16 anos e  já ensinou sobre o tema no Japão, Espanha, Portugal,Argentina, EUA, e de norte a sul pelo Brasil.

Já estão abertas as inscrições para o Curso Básico de Shiatsu Emocional na Cítara Saúde, a acontecer nos dias 22 de Maio, 12 e 26 de junho e 10 de julho de 2011 totalizando 4 encontros de 8H (aulas de 9 às 18H), ou 32 horas de curso.

A turma é reduzida, e portanto a garantia de vaga é por ordem de inscrições. O local do curso é a excelente clínica Cítara Saúde (veja o site www.citarasaude.com.br), na Vila Madalena, onde podemos aprender com todo o conforto.

Programa Básico (Carga horária 32H):

Introdução ao saber Oriental: Origem e evolução do Shiatsu; Comprovações Científicas; O equilíbrio através do toque; O toque shiatsu; O estilo Shiatsu Emocional; Os 7 preceitos do shiatsu emocional; Introdução à Medicina Tradicional Chinesa – Histórico, o Tao, Introdução às Cinco Fases; os 12 Meridianos e suas funções emocionais; Introdução à percepção do Hara; Introdução à Aromaterapia como amplificadora do toque shiatsu; Tratamento dos principais desequilíbrios emocionais através do shiatsu; exercícios práticos. Prática Básica com orientação ergonômica e postural.

Com o programa básico, é possível fazer uma sessão segura e com muitos benefícios aos praticantes.

Professor:
Arnaldo V. Carvalho pratica Shiatsu há 17 anos. Membro da Associação de Shiatsu de Espanha e da Associação Internacional de Shiatsu; Membro-Conselheiro do SINDACTA – Sindicato de Acupuntura e Terapias Afins do Rio de Janeiro; Diretor da Aeshi – Escola de Shiatsu e coordenador de Shiatsu do Centro Brasileiro de Acupuntura Clínica e Medicina Chinesa; Fundador e moderador do grupo Shiatsu-BR e Shiatsu Brasil, e autor do livro Shiatsu Emocional

Investimento:
O valor do curso completo é de R$900,00, e com desconto R$750,00 para pagamentos a vista até dia 18 de abril. O valor total pode ser parcelado em até 6x R$150,00.

Inclui apostila, certificado com chancela do Centro Brasileiro de Acupuntura e Medicina Chinesa e participação perene em nosso grupo de estudos, que dá total suporte ao aluno.

As inscrições podem ser efetuadas de três maneiras:

1) Diretamente na Cítara Saúde
R. Padre João Gonçalves, 129- Vl. Madalena- São Paulo/SP
2) Por telefone: 11 3814-0700
3) Por e-mail: citara@citarasaude.com.br

O prazo final para as inscrições termina no dia 30 de abril.

Maiores informações sobre o Shiatsu Emocional e o curso
em: www.shiatsuemocional.com.br e shiatsuemocional.wordpress.com

Add comment março 22nd, 2011

Os cheiros da infância

Por Arnaldo V. Carvalho*

Ainda me lembro dos cheiros da minha avó. O cheiro que ela tinha, um doce perfume de velhinha, que me fazia adormecer quando nela recostava, no banco de trás do carro de passeio que nos conduzia de volta para casa após um dia animado em um local de veraneio.. Me lembro do cheiro das coisas que ela usava em seu banheiro: o frasco de laquê, o ruge… Me lembro do cheiro do pudim de leite que ela fazia. Não era de leite condensado, era leite mesmo! Lembro do cheiro da ambrosia no fogo, na época do aniversário do meu avô, e dos misturados cheiros do velho casal na cama onde, por vezes, eu ia para ouvir histórias de pássaros coloridos, macacos japoneses e ratinhos espertos.

Todo mundo pode escrever muitas e muitas linhas sobre os cheiros da infância. Está marcada para sempre aquela rua onde ao passar se sente o cheiro dos jasmins ou da dama-da-noite. O tronco da árvore onde se subia, da casca da tangerina sendo aberta para comermos. A passagem por uma área rural e o cheiro do cocô de vaca, do cocô de cavalo, da titica das galinhas. O cheiro da borracha e demais itens de papelaria, da gasolina, do desinfetante que se usava em casa. Cheiro da casa de um tio. Cheiro do brinquedo novo, da gente do campo, da água de poço, dos temperos dos sítios vizinhos…

Evocar um cheiro é evocar histórias. Histórias de um tempo de surpresas, vida, fantasias, interrogações e espontaneidade. É na infância que se constroem valores… E para cada um deles existem cheiros associados. Assim, dentro de cada um, pudim vira carinho, peru vira fartura, gasolina lembra passeio, borracha de lápis lembra independência, plástico novo torna-se brinquedo, que sempre é coisa boa e tem a ver com coisa divertida, com gratidão e com sentimento de simplesmente ter algo para si.

Os cheiros mais importantes na vida emocional de uma criança são os cheiros dos seres humanos com quem ele convive. O cheiro do pai e da mãe e dos irmãos são inconfundíveis, e são fundamentais. São cheiros referenciais, que marcam o mundo até o fim da vida. Deixamos a síntese de nossa personalidade nos filhos ao emprestarmos-lhes os cheiros nossos. O contato com pele da mãe e do pai com o bebê, quando ele deita sobre o peito do pai e da mãe enquanto estes descansam numa rede ou poltrona. Dependendo da relação dos pais com os filhos, seus cheiros trarão recordações melhores ou nem tanto, mais ou menos intensas.

Que cheiros rodeiam seus filhos? Que vínculos eles criarão?

Além da formação de memórias
O universo olfativo vai além de vincular memórias e emoções a cheiros. Há cheiros que agem sobre os indivíduos sem que isso se relacione com memórias. Nesse caso, atuam porque o cérebro reage a eles produzindo química uma hormonal específica, que é capaz de alterar emoções, sensações físicas, a percepção em si, etc. O curioso é que em geral os odores da natureza, especialmente dos vegetais, nos trazem sensações agradáveis – um sinal de que a hormonação é levada a níveis mais equilibrados.

Foi assim que os antigos reconheceram que os cheiros podem mudar o astral de alguém. Eles utilizavam folhas frescas, flores e vegetais diversos em fogueiras e vapores, e através da fumaça que entranhava em suas roupas, cabelos e carne, sentiam-se revigorados, mais equilibrados, com saúde – e daí nasceu o perfume, “per fumum” (através da fumaça).

E é assim que cientistas do mundo inteiro vêm estudando e comprovando a enorme influência dos aromas. As pesquisas sobre olfato nas universidades de todo o mundo já ultrapassam de longe 50.000 artigos científicos, e mais de 200.000 sobre as plantas aromáticas, num único banco de dados acadêmico*. O sistema olfativo foi tema de trabalho laureado com o Prêmio Nobel em 2004. Nos Estados Unidos já existe o Sense of Smell Institute, organização voltada ao estudo e divulgação da influência dos cheiros no ser humano. O mundo dos aromas interessa à psicologia, ao marketing, às medicinas tradicionais, à antropologia e às ciências da saúde em geral. O tema tornou-se de tal grandeza que daí surgiram diversos campos de aplicação e estudo, como a aromacologia, a aromatologia, entre outros. A aplicação final de tudo isso vem sendo popularizada como Aromaterapia, simplesmente.

Pois bem, são os pequeninos ao mesmo tempo mais resistentes, e por outro lado mais suscetíveis que os adultos, no que diz respeito aos efeitos dos aromas. São mais resistentes porque o fígado infantil em geral é bem menos intoxicado que o adulto, e o fígado participa ativamente no conjunto de reações fisiológicas ao cheiro. São mais suscetíveis porque seu organismo é mais reativo a todo o tipo de estímulo. Finalmente, é mais suscetível o organismo infantil porque ele possui menos registros de memória, e tais registros atuam como moduladores da força de um cheiro sobre a química hormonal.

O cheiro sutil é indisfarçável
O odor dos adultos que convivem com a criança está além do que se percebe conscientemente. Há um “aroma hormonal”, imperceptível no plano objetivo, mas nunca ignorado no plano objetivo, ligado à identificação das ligações interpessoais, e ao estado geral do que está a nossa volta. Como uma espécie de “invisibilidade olfativa”. É assim que muitas crianças detectam se uma mãe está com “aquele cheiro esquisito”, quando esta está no período menstrual, ainda que esta tenha acabado de sair do banho e tenha colocado algum perfume. Esse aroma secreto mostra como estamos nos sentindo, e para ele, não adianta tomar banho! Nem passar perfumes! Não há como mascarar a infra-estrutura interna de cada um.

Paradoxalmente, esses mesmos banhos e perfumes podem, sim, dar nova vida a alguém. Podem reparar e curar. Banhos e óleos essenciais nos resgatam o equilíbrio. O contato do indivíduo com um aroma natural representa o contato entre duas naturezas – a natureza externa do mundo, reflexo e reflexora da natureza interna do indivíduo. Esse contato impele ao contato da gente com a gente mesmo, com quem nós somos, e propulsiona um autoconhecimento abstrato, que passa pela reorganização física, mental, energética.

Podemos então dizer que a utilização consciente de um aroma natural (e isso pode significar uma simples visita a um jardim!) ajuda no despertar do verdadeiro odor de cada um – o “invisível”! – , cuja criança irá distinguir para sempre como algo único: o cheiro da alma daqueles que o amam e daqueles que ele ama influenciarão o caminho.

O adulto guia os filhos em sua jornada de crescimento, e poucos percebem que suas delicadas presenças também pode mostrar o caminho que está sendo tomado, coletivamente, e individualmente.

Uma vez que se compreenda acerca do valor do mundo olfativo, passemos a suas aplicações práticas no mundo da criança.

A Aromaterapia
Como afinal aplicar ao menos um pouco das tantas lições que podem ser aprendidas acerca dos cheiros pela aromaterapia?

Quando a gente fala de aromaterapia, pode estar se referindo a qualquer tratamento que envolva cheiros. Mas a origem mesmo desse termo diz respeito aos óleos essenciais, a parte da planta destinada a torna-la cheirosa, para o bem da própria planta (os óleos e seus cheiros são usados para atrair ou repelir seres vivos com a qual a planta se relaciona) , e que está cheia de princípios ativos, capazes de provocar diversas reações no ser humano. Os óleos podem ter sido extraídos da planta – e assim estarão em concentrações poderosas e com as quais se deve ter muito respeito – ou podem estar lá com elas, em medidas sempre seguras, e muitas vezes eficazes.

As crianças em geral adoram o mundo dos aromas e dos óleos essenciais, e rapidamente aderem ao uso consciente dos mesmos. São capazes inclusive de pedir por certos cheiros a medida que identificam seus estados físicos e emocionais.

Crianças que antes dormiam mal e que passaram por tratamento com lavanda frequentemente recorrem a este óleo quando ansiosas ou agitadas, pedindo para quem os colocava em contato com este aroma durante o processo de reequilíbrio (esse contato sempre segue as orientações da aromaterapia, e deve ser conduzido com preparação adequada e/ou por profissional da área, conforme o caso).

Crianças sem fome porque comeram não devem ser preocupantes. Mas se há inapetência geral, é sinal de que não estão conseguindo por algum motivo ser o que elas são: Crianças. Nesse caso, a utilização do óleo essencial de laranja dispersado no ambiente da criança pelo menos uma hora antes da refeição resulta na grande maioria dos casos.

Pequeninos com distúrbios ligados a insegurança e medo em geral encontrarão alívio em combinações de óleos florais como a lavanda e o gerânio.

Crianças criativas e com um mundo mental forte adoram hortelã. As fechadas se expressam melhor em contato com o eucalipto.

Enfim, há uma infinidade de exemplos de ações e reações a ilustrar as vivências da meninice e como podemos torná-la mais saudável. Cada indicação contudo deve levar em conta uma série de fatores externos, condições de saúde interna, variabilidade dos próprios óleos, condições de utilização, concentrações, etc., que somente uma pessoa com formação própria saberia orientar. Procure um profissional de saúde habilitado a prestar orientações aromaterápicas, e observe seus filhos e crianças sob seus cuidados a exalarem o esplendor de quem desabrocha para a vida com todo o seu potencial. Amém!

* Números obtidos no Pubmed após busca com algumas palavra-chave referentes aos cheiros e ao olfato.

Se houver interesse em adquirir os óleos essenciais, entre em contato conosco pelo 65  3027 5795 ou espacoflordocerrado@uol.com.br

Para saber mais:
Sense of Smell Institute – http://www.senseofsmell.org/
Aromatologia e Aromaterapia – http://www.aromatologia.com.br/
Medline – http://medline.cos.com/
National Library of Medicine – http://www.nlm.nih.gov/
Medline Plus – http://medlineplus.gov/
Pubmed – http://www.ncbi.nlm.nih.gov/ (Base de dados do National Center for Biotechnology Information)
Prêmio Nobel 2004: http://nobelprize.org/nobel_prizes/medicine/laureates/2004/

*Arnaldo V. Carvalho – Terapeuta humanista, com formação em Naturopatia e diversas terapias corporais, autor do livro Shiatsu Emocional e professor de muitos cursos inclusive o de Aromaterapia, fundador dos sites Calor Humano, Portal Verde, Aromatologia & Aromaterapia e de diversos blogues correlatos, defensor da afetividade humana, da qualidade relacional e dos direitos de Ser antes mesmo do nascimento, Pai Coruja, e Ser Humano.

http://www.arnaldovcarvalho.com/
http://arnaldovcarvalho.wordpress.com
http://www.portalverde.com.br/
http://www.shiatsuemocional.com.br/
http://www.aromatologia.com.br/
http://portalverde.wordpress.com
http://www.calorhumano.com.br/

Add comment março 21st, 2011

Fofinhos… mas não gordinhos.

Por Dra. Cristina Guttilla

 A alimentação saudável é fundamental não só para o crescimento e desenvolvimento com também para o perfeito funcionamento do organismo.

Infelizmente os hábitos alimentares estão muito desequilibrados e a obesidade aumentou muito nas 3 últimas décadas, principalmente em crianças ,adolescentes e adultos jovens .

O desmame precoce, a inatividade física e a introdução de alimentos inadequados em qualidade e quantidade são os fatores que mais contribuíram para a obesidade infantil. 

A criança , mesmo com a melhor das intenções ,geralmente é habituada a uma dieta idadequada e os efeitos do excesso de açúcar ,sal ,gordura ,proteínas e carboidratos vão repercutir para o resto da vida , tornando muito mais difícil a implementação da reorientação alimentar.

 Hoje sabemos que a alimentação, principalmente nos primeiros anos de vida , pode induzir efeitos tardios na saúde e em riscos de doenças na vida futura como obesidade, hipertensão ,diabetes , doenças coronarianas e várias outras.

Por isso é tão importante a atenção com o que se come ! Ajudar a criança à aprender a comer com prazer e qualidade é um dever e um grande carinho e esse cuidado constante irá repercutir pelo resto da vida…..

Saiba mais no post Obesidade Infantil.

Add comment março 15th, 2011

Outono a caminho

Por Marise Berg

Segundo o Ayurveda, somos o microcosmo que reflete o macrocosmo e devemos adaptar a nossa rotina às variações climáticas e sazonais, pois elas exercem grande influência sobre os doshas.

Os períodos intersazonais são chamados de rutu sandhi, e correspondem aos 7 dias no fim e no começo das estações. Nesse intervalo, o regime alimentar correspondente à estação anterior deve ser descontinuado gradativamente e um novo regime deve ser adotado suavemente. A descontinuação repentina ou a brusca adoção de uma nova dieta pode provocar o surgimento de desequilíbrios, decorrente da não adaptação à mudança de hábito (asatmya). O inverso, a persistência de um mesmo hábito alimentar, indiferente das variações sazonais, pode gerar o agravamento dos doshas, pela incompatibilidade da dieta com o clima vigente.

 A transição do Verão para o Outono substituirá o clima intensamente quente e úmido pelo calor suave, vento e a secura até meados de Abril, quando a temperatura começará a baixar. Os atributos da nova estação influenciam fortemente a energia Vata em todas as pessoas podendo gerar constipação intestinal, ressecamento da pele, unhas e cabelos, dores articulares, rouquidão, insônia, ansiedade, medo e nervosismo, além da redução ou instabilidade do apetite.

A dieta é uma ferramenta importantíssima para reequilibrar o sistema tridosha quando este é afetado pelas variações climáticas.  

Nesse período recomenda-se de modo geral uma dieta quente, medianamente pesada, umedecida e nutritiva com predomínio de alimentos cozidos, untuosos (com adição de óleos saudáveis como o azeite de oliva), ingestão de líquidos mornos (chás e sucos cozidos), abundante em cereais como a aveia, laticínios (com temperos), frutas oleaginosas (com moderação). As refeições devem ser freqüentes, em pequena quantidade e regulares. Não deve haver mistura de muitos alimentos na mesma refeição, mas, variedade entre uma refeição e outra. Devem-se usar temperos picantes, mas suaves (açafrão, cardamomo, cebola cozida, coentro, cominho, endro, erva-doce, funcho, gengibre em pó), e sal.

As massagens ayurvedicas combinadas com sauna a vapor são recomendadas pela aplicação dos óleos corporais em temperatura morna, que mantém a nutrição da pele, cabelos e unhas. Outros benefícios são a estimulação da circulação, o relaxamento da musculatura e do sistema nervoso, aliviando os sintomas do estresse.

Add comment março 2nd, 2011

Obesidade infantil

 Olá amigos.

A nossa pediatra – a Dra. Cristina Guttilla recomenda um filme muito educativo e divertido sobre a obesidade infantil, criado pelo nosso querido  amigo Ivo Minkovicius.

“Nos últimos anos a obesidade tornou-se um problema de saúde pública. Além do estigma psicossocial acarretado pela obesidade, as complicações clínicas e metabólicas geram um grande número de atendimentos nos serviços de saúde. Podemos citar as repercussões da obesidade como hipertensão arterial, dislipidemias, diabetes tipo II, doenças cardiovasculares, apnéia do sono, neoplasia de mama, cólon e reto.

É importante ressaltar a complexidade do assunto, pois a obesidade tem uma etiologia mista, na qual contribuem vários fatores que não têm ações independentes, portanto sofrem influência entre si.

A obesidade está ligada a uma predisposição genética e  fatores ambientais, como o hábito alimentar da família. O estilo de vida das pessoas influi fortemente quando o assunto em pauta é a obesidade. Assim, o sedentarismo aliado uma dieta hipercalórica, a ausência de regularidade no horário das refeições são fatores que de forma isolada ou combinada contribuem para o desenvolvimento da obesidade. O vínculo emocional mãe-filho afeta a nutrição da criança, pelo modo com que a mãe, demonstrando afeto ou preocupação, oferece alimentos como “prêmio” ou compensação. Dentre esses, o estilo de vida deve um componente importante na gênese da obesidade, pois este define os hábitos e costumes das crianças e adolescentes e os consolida nos pais. Esses hábitos e costumes podem ser elencados: não possuir horários fixos para comer; quantidade de comida preparada por refeição; qualidade da comida em relação à porcentagem de carboidratos, gorduras e proteínas;  número de refeições consumidas diariamente; quantidade de alimentos consumidos em cada refeição relacionada aos horários das mesmas; hábito de comer entre as refeições e  a qualidade e quantidade dos alimentos ingeridos nestes intervalos.

A mãe desempenha papel fundamental no aprendizado nutricional do filho. Esse aprendizado se desenvolve de forma ativa, quando a mãe realiza o controle da dieta da casa  e de forma passiva,  através da observação da criança quanto aos hábitos nutricionais da mãe ou da família1,20.

O aconselhamento e orientação das mães no   preparo e manuseio dos alimentos poderia determinar a efetividade de uma medida simples, como por exemplo orientação nutricional, no controle de um sério problema como é a obesidade22.

Assim, buscar os hábitos alimentares da família entre as mães de crianças obesas e definir o estado nutricional das mães dessas crianças ou adolescentes nos possibilitaria a  identificação  de alguns fatores  de risco para o desenvolvimento da obesidade na criança ou no adolescente.

Autor: Paulo Cavalcante Muzy

Add comment março 1st, 2011


Calendário de Posts

março 2011
S T Q Q S S D
« fev   mai »
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  

Posts by Month

Posts by Category