Author Archive

Um olhar para o atendimento terapêutico com crianças e adolescentes

Por Sônia Maria Marcondes Licursi

Escuto os relatos dos pais que trazem seus filhos para terapia e observo que percebem que algo não vai bem. Algumas vezes relatam que a professora observou algumas situações e a orientação educacional chamou-os para uma entrevista e disse que a criança ou o jovem está com alguns conflitos sociais, angústias na escola, problemas na aprendizagem. Às vezes falam também sobre o relacionamento familiar como sendo causador dos conflitos, refletem ou abrem um espaço de acusação ou sentem-se culpados. É legitimo todos os sentimentos e a percepção do quanto é difícil e sofrido aceitar que algo não vai bem, a arte de educar os filhos e serem pais traz muitas emoções. Cabe a nós terapeutas ajudá-los a desvendar as adversidades do bem viver. Para iniciar a terapia com a criança ou adolescente é importante pensar como foi tecida esta rede de relações: família, criança ou jovem e escola. Nas sessões iniciais com os pais ter um olhar especial para psicodinâmica familiar, observar os sentimentos que envolvem o relacionamento dos pais com a criança ou adolescente, qual a história dos pais com seus filhos e com seus pais. Que lugar esta criança ou jovem ocupa nesta família e quais as crenças dos pais nos seus filhos. No contato com a equipe escolar perceber o que está criança ou adolescente está levando para o âmbito escolar e que o impede de estar livre para aprender e ser feliz. Na infância o aprender é motivado pela curiosidade do saber como o Homem e o mundo funcionam. Na adolescência já aprendeu sobre o Homem e o mundo, agora quer ser protagonista. A escola é o espaço estimulador para o desenvolvimento emocional e é importante pensar também com a equipe qual o lugar desta criança ou jovem no seu grupo classe e como está tecendo a aprendizagem e as relações sociais. É um trabalho de rede, tecer com a família, a criança ou jovem e a escola todas estas observações e verificar o que faz sentido para cada um, ajudá-los em seus papéis e na expressão dos sentimentos diante dos conflitos e problemas apresentados. O processo terapêutico tece uma rede de cuidados e acessa as emoções que envolvem os papéis dos pais, filhos e educadores na sensível tarefa de educar.

Add comment julho 24th, 2013

Transição Outono – Inverno 2013

canela

Segundo o Ayurveda, o mais antigo sistema de saúde do mundo, somos o microcosmo que reflete o macrocosmo, e devemos adaptar a nossa rotina às variações climáticas e sazonais, pois elas exercem grande influência sobre nosso organismo.

Os períodos intersazonais são chamados de rutu sandhi, expressão em sânscrito que correspondem aos 7 dias finais e iniciais das estações. Neste intervalo, o regime alimentar correspondente à estação anterior deve ser descontinuado gradativamente, dando lugar ao novo regime a ser adotado. A descontinuação repentina ou a brusca adoção de uma nova dieta pode provocar o surgimento de desequilíbrios, decorrentes da não adaptação à mudança de hábito (asatmya). Por outro lado, a permanência no mesmo hábito alimentar, indiferente às variações sazonais, pode gerar o agravamento dos biotipos ou doshas (Vata, Pita e Kapha), pela incompatibilidade da dieta com o clima vigente.

O inverno de São Paulo é predominantemente frio e seco, apesar de ensolarado. Essa combinação de atributos tende a acumular a energia Kapha (letargia), agravar a energia Vata (instabilidade) e aliviar a energia Pitta (calor, intensidade). Os desequilíbrios se manifestam por meio de sintomas como: constipação, asma e tosse seca, pele excessivamente ressecada e áspera, aumento de gases intestinais e distensão abdominal, palidez, dor e constrição do esôfago, diminuição da fome, digestão lenta e difícil, ressecamento das fezes, emagrecimento excessivo ou dificuldade de ganhar peso, falta de entusiasmo, tremores, apatia, insônia ou sono excessivo, náusea, letargia, perda do desejo.

A dieta é uma ferramenta importantíssima para reequilibrar o sistema tridosha quando este é afetado pelas variações climáticas.

Aproveite nossas dicas de alimentação e bem-estar.

Em jejum, beba uma xícara de água morna com gotas de limão (menos de ¼ de limão pequeno) com mel ou açúcar mascavo;

 Evite excesso de açúcar e alimentos doces, alimentos crus (se não resistir à salada, use um molho quente ou refogue os vegetais);

 Abandone alimentos gelados, requentados e oleosos;

 Evite o uso excessivo de sal;

 Beba líquidos adequadamente (aprox. 1,5 l por dia);

 Experimente novos sabores de chás herbais quentes;

 Evite “beliscar” entre as refeições;

 Dieta nutritiva e leve incluindo legumes cozidos no vapor, cereais integrais como o arroz, trigo ou aveia, legumes refogados, frutos fortificantes, ghee (manteiga clarificada), feijões (temperados com especiarias quentes e picantes como o louro, cominho e pimenta do reino) e tenha moderação com os laticínios;

 Se perceber falta de apetite, pode ingerir chutneys ou gengibre em conserva antes das refeições;

 Use a sua criatividade e intuição para inovar o cardápio incluindo as especiarias abaixo:

 Ajwain, alho e cebola cozidos, assafétida, canela, gengibre, cardamomo, coentro, cominho, erva-doce, feno grego, gergelim, hortelã, manjerona, mostarda, pimenta do reino, salsa, sálvia, orégano e tomilho.  Chás: alecrim, anis estrelado, canela, cardamomo, capim limão, gengibre, ginseng, manjericão, noz moscada. 

 

 RECEITA AQUECEDORA 

Quentão de uva com especiarias

1 copo de suco de uva

2 copos de água

1 pedaço de 3 cm de gengibre fresco

3 favas de cardamomo

Ferver a água e o gengibre. Mantendo o fogo aceso adicione o cardamomo, deixando ferver por mais 3 minutos. Desligue o fogo, adicione o suco, tampe a panela e aguarde 5 minutos. Coe e sirva morno. Não precisa adoçar.

 

Dicas de bem-estar durante a estação:

 Além da dieta, a rotina deve ser observada e adaptada à nova temporada:

 Não se exponha ao frio, mantenha-se agasalhado confortavelmente;

 Auto-massageie o corpo com óleo apropriado, se submeta a massagens revigorantes em ambiente aquecido (óleo de gergelim para Vata e de girassol para Pitta e Kapha);

 Faça  sauna (moderadamente), seguida de banho morno;

 Pratique exercícios, de preferência sob sol moderado;

 Faça alguma atividade física à noite, antes de se deitar, e durma adequadamente, evitando excesso de estímulo à noite (como assistir à TV no quarto). Levante-se cedo;

 Use roupas de cores quentes como laranja e vermelho e evite as excessivamente frias como o azul.

Marise Berg

Idealizadora do Prãna Spa Ayurvedico , Terapeuta e Culinarista Ayurvedica com especialização em Alimentação Natural e Rasayana (rejuvenescimento). Formada pela Escola Yoga Brahma Vidyalaya com extensão em Rasayana (rejuvenescimento) e Nutrição Ayurvedica pela Kerala Ayurvedic Chikitsalayam e International Academy of Ayurveda – Pune; e Vishwanath Panchakarma Centre – Rishikesh, Índia. Cursa a graduação em Nutrição no Centro Integrado São Camilo, São Paulo. Recebeu a iniciação budista dos Cinco Treinamentos da Consciência pelo Monge Thich Nhat Hanh, em 2009.

 

 

Add comment junho 19th, 2013

Introdução ao Ayurveda

 

 MAHA BIJA CONSULTORIA EM AYURVEDA, YOGA E BEM VIVER

Flávia Maimoni Ribeiro- Terapeuta ayurvedica

INTRODUÇÃO AO AYURVEDA

Ayur significa vida e Veda é traduzido como conhecimento. Ayurveda é a ciência que nos ensina como viver a vida de forma saudável e plena, integrados com a nossa natureza em particular e com o mundo que nos cerca.

É um sistema de cura preventiva milenar que surgiu na Índia há mais de 5000 anos. Oferece todas as bases para uma vida equilibrada: métodos de desintoxicação do corpo e da mente, rejuvenescimento, alimentação e rotina apropriadas.

A terapia Ayurvedica se baseia no conceito de que tudo que existe no Universo é formado pela interação dos cinco elementos: éter, ar, fogo, terra e água. São eles que definem a nossa constituição original, nossas reações físicas, mentais e emocionais.

Nossa natureza (Prakruti)

Nossa verdadeira natureza é chamada de Prakruti, aquilo que somos, que herdamos de nossa linhagem genética, ou seja, a porcentagem ou combinação dos cinco elementos em nossa constituição. Como exemplo: uma pessoa que possui bastante fogo em sua constituição tende a ser mais “quente”, ter ações mais assertivas, espírito de liderança; uma pessoa que tem mais água em sua constituição tende a apresentar mais retenção de líquidos e gordura, ser mais chorona e sensível emocionalmente e assim por diante.

Nossa interação com o mundo externo, entretanto, faz com que algumas destas condições naturais originais ou de nascimento se alterem gerando desequilíbrios que produzem em maior escala o que chamamos de doença.

Vikruti é nossa constituição atual resultante de alterações que ocorrem quando sujeitamos nossa natureza à condições desfavoráveis, como: alterações de clima, mudanças culturais e na alimentação, hábitos desestruturantes, relações nocivas.

Para nos harmonizarmos com nossa natureza, devemos RECONHECER qual é nossa constituição original, interagindo com o mundo de acordo com as nossas necessidades e forma de expressão.

 

 Nossas necessidades naturais (Vegas)

Começamos pelas nossas necessidades básicas e essenciais. O Ayurveda nos diz que temos 13 necessidades que nunca devem ser suprimidas: urinar, evacuar, ejacular, eliminar gases, vomitar, espirrar, arrotar, bocejar, comer, beber, chorar, dormir, respirar, liberar emoções.

Quando bloqueamos o fluxo natural destas necessidades, ao segurar um espirro, engolir o choro, geramos tanto mal em nós que passamos a acumular toxinas que querem encontrar uma via natural de saída do corpo.

Fogo digestivo (Agni)

Na compreensão do Ayurveda: “nós não somos o que comemos, mas sim o que digerimos!”. E não nos alimentamos apenas de comida, mas também de impressões através dos cinco sentidos, como a luz do sol que é digerida pela pele e pelos olhos, o conhecimento que é digerido pelo intelecto…

Saúde existe quando tudo o que nos alimenta é digerido adequadamente e, o que não é necessário, é eliminado, pois o que não digerimos vira intoxicação.

Dentro do ayurveda, há uma representação de nossa força digestiva, chamada Agni, que é traduzido como fogo, aquele que governa as transformações e metabolismos do corpo. O Agni mantém: a temperatura corporal, o funcionamento do sistema imunológico, os impulsos de coragem, a alegria e entusiasmo de viver, a longevidade, o brilho e vigor, a clareza e o discernimento.

Portanto, mais do que uma simples capacidade de digerir, agni metaboliza o que vivemos. Transforma as situações adversas da vida física e emocional em energia.  No entanto, quando está alterado a saúde se deteriora.

Existe um ditado que diz: “Aquele que tem um bom agni pode comer veneno e metabolizar em néctar, aquele que tem um mau agni come néctar e metaboliza em veneno”.

Todos nós temos essa força digestiva, mas acontece que as pessoas são diferentes, e assim, o agni manifesta-se dentro delas de modo igualmente ímpar. Os fatores que indicam um agni equilibrado são: apetite regular, digestão processada de forma suave e natural, eliminações ocorrendo de forma regular, bom hálito e disposição.

Os fatores que apontam desequilíbrio no agni são: sensação de “empachamento”, de peso ou queimação após as refeições, desequilíbrios nas eliminações (diarréia ou constipação), gases, mau hálito, sensação de sono após as refeições, falta ou excesso de apetite.

Toxinas (Ama)

Ama é todo resíduo tóxico que se acumula no organismo. Ela é a toxina que obstrui nossa força vital sendo geradora de doenças.

 Os atributos de ama são: frio, pegajoso, oleoso, pesado, de odor desagradável. Se pensarmos neste instante em um alimento que tenha algumas destas características certamente ele é uma fonte geradora de ama.

As toxinas físicas (ama)são eliminadas do corpo através da urina, fezes, respiração e suor. Para se digerir ama já presente, é necessário aumentar o agni com uma dieta baseada em ervas e alimentos picantes e de potência quente. Jejuns e uma dieta de desintoxicação ayurvedica também são recomendados para digestão de ama. Em geral ama leva 15 dias para ser digerida.

 Existem também emoções que, quando não digeridas, levam a uma intoxicação. São elas: preocupação, tristeza, medo, raiva, ódio, aversão, ciúme, inveja. As toxinas emocionais são eliminadas através da elaboração e expressão das emoções, assunto este que será visto em Psicologia Ayurvedica.

 Na terapia ayurvedica aprenderemos a identificar a presença de toxinas através de uma observação da cobertura da língua, assunto este que será visto quando abordarmos a Rotina Diária.

Nossa imunidade (Ojas)

Ojas representa a nossa reserva de energia vital, a nossa resistência e imunidade tanto física quanto psicológica. Ele permite cada um resistir a estímulos estressantes, recuperar de doenças e manter a vitalidade em seu potencial máximo.

Existem dois tipos de Ojas: aquele que é herdado geneticamente (como se fosse um combustível que recebemos na vida, um tanque cheio de gasolina que vai se esvaziando com o passar do tempo e finaliza-se na morte); e aquele que produzimos pela nossa relação com a alimentação e cuidados com nosso corpo e vitalidade.

No Ayurveda todo tratamento visa incrementar, sustentar e fortalecer Ojas. Ajustar a maneira de estar no mundo é uma meta que ajuda na manutenção da vida e  longevidade.

Add comment abril 2nd, 2013

Dieta Detox Ayurvedica (dieta anti ama)

dieta

“Intoxicação” é o termo utilizado para descrever uma condição provocada por uma extensa lista de contaminantes químicos como metais e poluentes ambientais; pesticidas; químicos usados nas limpezas, álcool, tabaco, drogas, medicamentos, cosméticos, exposição excessiva ao sol, além de dietas ricas em alimentos ultraprocessados, gordura saturada e trans, excesso de sódio e açúcar, aditivos alimentares usados inadequadamente; e pelos radicais livres formados no funcionamento regular do nosso próprio metabolismo. Em pequenas quantidades, os radicais livres atuam positivamente como coadjuvantes do sistema imune. Porém, quando a produção de radicais livres excede as defesas do organismo, ocorre o estresse oxidativo que acelera o envelhecimento, com o consequente aumento da susceptibilidade e a incidência de doenças como o câncer, artrite, doenças cardiovasculares, diabetes e doenças renais. Ou seja, A nossa saúde depende, em grande parte, da habilidade do organismo em neutralizar eficientemente esses produtos tóxicos.
Todas as substâncias são tóxicas se a concentração for suficientemente alta. O nível de intoxicação varia de acordo com diversos fatores, como o tipo de substância ingerida, o nível de exposição a esta substância, a idade, o peso corpóreo, tabagismo, etc.…

O conceito de desintoxicação do organismo através da dieta tem sido adotado por culturas ancestrais como as indígenas, a hindu e a chinesa. Desintoxicar significa remover o caráter tóxico de uma substância. As vias de desintoxicação e eliminação no organismo humano são o fígado, os rins, o trato intestinal, os pulmões e a pele.
A dieta Detox é uma abordagem terapêutica natural não medicamentosa para eliminar toxinas e os seus efeitos nocivos, considerado o primeiro passo para restaurar o equilíbrio do organismo e despertar os mecanismos internos de auto-cura. O Detox é recomendado para a prevenção e tratamento de desequilíbrios de saúde em fase subclínica (assintomáticos ou com sintomas inespecíficos) ou no estágio precoce das patologias, e também para promover o rejuvenescimento.

São considerados sintomas de intoxicação:
• Indigestão, inapetência (falta de fome e apetite), alterações no paladar
• Sensação de peso, fadiga, letargia e cansaço após as refeições
• Cansaço excessivo sem causa aparente
• Eructação e flatulência (gases) excessivos
• Mau hálito ou odor corporal desagradável, suor excessivo
• Constipação ou irregularidade nas excreções, alteração na consistência das fezes que se torna pesada, pegajosa e/ou com presença de alimentos
• Cobertura esbranquiçada ou amarelada na língua
• Febre
• Presença de muco excessivo
• Ressecamento da pele
• Letargia, lentidão, apego, mágoa, preguiça. Sonolência em excesso, dificuldade de acordar pela manhã
• Inchaço e edema (retenção de líquidos)
• Aumento da suscetibilidade às doenças infecciosas
• Dor de cabeça
• Dores musculares

O objetivo da Dieta Desintoxicante Ayurvedica (anti ama) é a manutenção da saúde e o rejuvenescimento resultante do fortalecimento da potência digestiva e da desintoxicação. O seu mecanismo de ação é a restrição da exposição a substâncias tóxicas, aliada à ingestão de alimentos vegetais e especiarias ricos em vitaminas, minerais e fitoquímicos, além da hidratação adequada, descanso, meditação e prática de atividade física leve.

A sua prática deve trazer sensação de leveza, de bem estar físico e emocional, bom humor, disposição e vitalidade, melhora do humor, memória e raciocínio, a regularização das funções digestivas incluindo as eliminações, o fortalecimento dos sentidos do paladar e olfato, a aquisição de hábitos saudáveis e a liberação dos condicionamentos nocivos. É habitual que ocorra a eliminação da água em excesso e a diminuição de gorduras que se acumulam em algumas partes do corpo devido à obstrução dos canais que as alimentam. A maioria das pessoas que praticam essa dieta emagrece como consequência do equilíbrio alcançado pelo organismo. Porém, em alguns casos isso não ocorre.

A Dieta Desintoxicante Ayurvedica é branda, variada, colorida, cheia de frescor e energia. Todos os grupos de alimentos devem ser utilizados formando refeições variadas e coloridas com cereais e tubérculos, leguminosas, hortaliças e frutas, proteínas, laticínios (iogurte na forma de Lassis digestivos), óleos saudáveis, açúcares naturais e especiarias, com preferência para os alimentos orgânicos, da estação e da região. São priorizados os alimentos leves, frescos, de fácil desagregação e digestão.
O cardápio contempla os 6 sabores doce, salgado, ácido, picante, amargo e adstringente e fornece quantidades regulares de carboidratos, proteínas e lipídeos (normoglicídico, normoprotéico e normolipídico).
A alimentação deve atender à fome real sinalizada pelo estômago e não à vontade de comer emitida pelo cérebro. A potência digestiva individual (agni) deve ser respeitada, portanto, essa dieta não é pautada no valor energético oferecido (calorias) e sim na qualidade e variedade dos alimentos, assim como na correta combinação e preparo das refeições, respeitando-se a fome e a saciedade.
O fracionamento recomendado é de até 6 refeições de pequenos volumes para evitar que se sinta fome excessiva e o mal estar causado pela hipoglicemia (baixo nível de glicose na corrente sanguínea) comum nas dietas muito restritas e nos jejuns.
Em geral, no horário do almoço o apetite é mais forte. É quando devemos comer mais quantidade de preparações mais sólidas incluindo as proteínas.
Com baixo apetite, não se deve fazer jejum absoluto, mas, ingerir sopas leves (com consistência de canja), vegetais cozidos, papa de arroz, mingau ou preparações semissólidas.
Alguns alimentos com alto potencial alergênico devem ser evitados como os cogumelos, o leite (de vaca, cabra ou búfala), a soja e derivados como o tofu e o molho shoyu. Outros alimentos a serem evitados são: carnes, chocolate, achocolatados, sorvete, tortas e bolos, frituras de imersão, vinagre, condimentos artificiais, molhos cremosos, café (permitido até 1 dose), refrigerantes, bebidas gasosas ou geladas, alimentos artificiais, excessivamente processados, junk e fast food, enlatados, refinados, embutidos, congelados, transgênicos, irradiados ou cozidos em microondas, excessivamente cozidos, envelhecidos.
As preparações devem ser consumidas mornas e os alimentos crus e/ou refrigerados serão evitados. As frutas, legumes e vegetais serão abrandados, ou seja, levemente cozidos no vapor ou água, grelhados ou assados, de acordo com a sua preferência.
É recomendado desenvolver a habilidade de cozinhar com prazer (pelo menos o básico) e ter bons utensílios, que pouparão o tempo de preparo das refeições. Os utensílios devem ser de tamanho moderado e de boa qualidade. As panelas mais recomendadas são de aço inox, vidro, ferro, ágata ou pedra. O uso do microondas deve ser evitado.
Deve-se consumir as refeições em horários regulares para favorecer um ritmo mais eficiente de digestão. A pressa, o estresse, a raiva, a frustração, o medo, assim como os ambientes muito perturbados, reduzem a potência digestiva e podem provocar inflamações no sistema digestivo. Um ritmo calmo de mastigação favorece a digestão. Os talheres podem descansar sobre a mesa durante a mastigação. Reuniões profissionais devem ser evitadas às refeições, principalmente no período da dieta.
Do ponto de vista energético, focar a atenção nas refeições conectará os sentidos do paladar, visão e olfato com a digestão, trazendo sensação de prazer e saciedade.

A Dieta Desintoxicante Ayurvedica é oferecida no Prãna Spa Ayurvedico, em Campos do Jordão. Para saber mais, acesse: www.pranaspa.com.br

Add comment janeiro 29th, 2013

Ayurveda e Yoga no programa Ser Sustentável com Estilo

TVSSE: O Caminho do Bem Estar com Marise Berg from Ser Sustentável com Estilo on Vimeo.

Add comment outubro 10th, 2012

Confirmada a ação anti-inflamatória das massagens

Estudo feito com a participação de 11 atletas mostra que terapias de manipulação são capazes de reabilitar músculos lesionado.

Por ALEXANDRE GONÇALVES – Jornal O Estado de São Paulo

A massagem tem uma ação muito parecida com a dos tradicionais anti-inflamatórios e é eficaz na reabilitação de músculos que sofreram lesões. É o que mostra um estudo divulgado ontem pela revista Science Translational Medicine.

Trabalhos anteriores comprovavam os efeitos práticos da massagem, mas nenhum desvendava as complexas reações bioquímicas que explicam por que ela funciona. “Há consenso de que massagem produz bem-estar”, afirma Simon Melov, do Instituto Buck, nos Estados Unidos. “Agora, temos base científica para explicar como ela atua.”

Normalmente, o esforço físico produz lesões nas fibras dos músculos que levam à processos inflamatórios. Os cientistas descobriram que a massagem estimula a produção de sinais químicos que diminuem a inflamação, de um modo análogo à atuação de vários fármacos.

Ao mesmo tempo, a massagem estimula a geração de mitocôndrias, pequenas estruturas que funcionam como verdadeiras usinas de energia dentro da célula. Desta forma, a prática também contribui para acelerar a reconstrução de tecidos musculo-esqueléticos afetados por exercícios físicos ou doenças.

Segundo o estudo, bastariam 10 minutos de massagem para produzir um efeito benéfico perceptível.

“Os benefícios da massagem podem ser úteis para um amplo grupo de indivíduos que inclui idosos, pessoas que sofrem de lesões músculo-esqueléticas e pacientes com doença inflamatória crônica”, pondera Mark Tarnopolsky, principal autor do estudo e cientista do Departamento de Pediatria e Medicina da Universidade McMaster, em Ontário, no Canadá. “Esse estudo fornece evidências científicas confiáveis de que terapias de manipulação, como a massagem, podem ser integradas com sucesso à prática médica.”

O experimento também derrubou uma crença muito difundida: a de que a massagem diminuiria a dor por ajudar a eliminar substâncias como o ácido lático, que causam incômodo depois do esforço físico. “Apesar de não ter efeito sobre os metabólitos musculares (como o ácido lático), a massagem diminui a produção do fator inflamatório, mitigando o estresse celular da fibra muscular”, aponta o artigo, que contou com a participação de 11 atletas voluntários (mais informações nesta página).

O mesmo texto recorda que terapias complementares, como a própria massagem, a acupuntura e a quiropraxia se tornam cada vez mais comuns no cotidiano das pessoas, especialmente como formas de diminuir a dor. Daí a necessidade de estudos que determinem a razão da sua eficácia.

Na prática. O fisioterapeuta Ricardo Luchetti utiliza a massagem e a quiropraxia para tratar pessoas com dores há mais de 20 anos. Sua especialidade são as dores na coluna.

Ele ficou contente ao saber que o estudo comprova a eficácia do seu trabalho. “De fato, é bastante evidente o efeito da massagem na diminuição do processo inflamatório”, aponta Luchetti.

Só nos Estados Unidos, 18 milhões de pessoas recorrem a massagistas todos os anos.

Matéria publicada em 02 de fevereiro de 2012.

1 comment fevereiro 9th, 2012

2012: ano de resistência e de resiliência

Queridos amigos.

Vamos abrir o ano de 2012 com a idéia de que superação é saber que “cada ser carrega em si o DOM de ser capaz de ser feliz”.

Vamos começar o ano limpando as tristezas dos pulmões, transmutando em oxigênio, combustível para a coragem necessária para as aspirações e superações.

Criamos então um espaço para um vazio de oportunidades!

Deixamos aqui, de presente, um texto emocionante “emprestado” do teólogo Leonardo Boff (leonardoboff.wordpress.com).

“Os cenários da situação da humanidade, especialmente nos países centrais, são perturbadores. As crises escondem grande padecimento humano, especialmente dos mais vulneráveis dos quais quase ninguém fala.

Face a esta situação devemos resistir e viver a resiliência, vale dizer, aquela atitude de enfrentar com destemor os problemas, dar a volta por cima e aprender dos revezes da vida, pessoal e coletiva.Isso se impõe se a crise geral atingir também nosso pais, o que não é impossível. O importante é não se resignar mas manter a vontade de mudar e crescer. Neste contexto, lembrei-me de um mito antigo da área mediterrânea da Europa por mim já referido em outros escritos.

De tempos em tempos, reza o mito, a águia, como a fênix egípcia, se renova totalmente. Ela voa cada vez mais alto até chegar próxima ao sol. Então as penas se incendeiam e ela toda começa a arder. Quando chega a este ponto, se precipita do céu e se lança qual flecha nas águas frias do lago. Através desta experiência de fogo e de água, a velha águia rejuvenesce totalmente. Volta a ter penas novas, garras afiadas, olhos penetrantes e o vigor da juventude. Seguramente este mito subjaz ao salmo 103 onde se diz:”O Senhor faz com que minha juventude se renove como uma águia”.

Fogo e água são opostos. Mas quando unidos, se fazem poderosos símbolos de transformação. Segundo a psicologia do profundo de C. G. Jung, o fogo simboliza o céu, a consciência e as dimensões masculinas no homem e na mulher. A água, ao contrário, a terra, o inconsciente e as dimensões femininas no homem e na mulher. Passar pelo fogo e pela água significa, portanto, integrar em si os opostos e crescer na identidade pessoal. Ninguém ao passar pelo fogo ou pela água permanece intocado. Ou sucumbe ou se transfigura, porque a água lava e o fogo purifica.

A água nos faz pensar também nas grandes enchentes que temos assistido, estarrecidos, em janeiro de 2011 nas cidades serranas do Estado do Rio, especificamente na minha na qual vivo, Petrópolis. Assistimos aqui a um verdadeiro tsunami que carregou tudo que estava pela frente, matando centenas de pessoas e deixando um sem número de desabrigados. São tragédias, evitáveis mas que acontecem e que devemos enfrentá-las com coragem. O fogo nos faz imaginar as fornalhas que queimam e acrisolam tudo o que não é essencial, deixando ouro ou o ferro puros. São as notórias crises existenciais. Ao fazermos esta travessia dolorosa e purificadora, deixamos aflorar o nosso eu profundo. Então amadurecemos para aquilo que é autenticamente humano. Quem recebe o batismo de fogo e de água rejuvenesce como a águia do mito antigo.

Mas indo diretamente ao assunto: que significa concretamente rejuvenescer como águia? Significa entregar à morte tudo aquilo que de velho existe em nós para que o novo possa irromper e ser integrado. O velho em nós são os hábitos e as atitudes que não nos engrandecem, como a falta de solidariedade para com os pobres, as palavras duras para com os familiares, a vontade de ter razão em tudo, o descuido para com o lixo, o desperdício da água e nossa surdez face ao que a natureza nos quer dizer. Tudo isso deve ser entregue à morte para podermos inaugurar uma forma sustentada de convivência entre os humanos e com os demais seres da criação. Numa palavra, significa morrer para ressuscitar.

Rejuvenescer como águia significa também desprender-se de coisas que um dia foram boas e de idéias que foram luminosas mas que lentamente se tornaram ultrapassadas e incapazes de inspirar o caminho da vida.

Rejuvenescer como águia significa ter coragem para recomeçar e estar sempre aberto a escutar, a aprender e a revisar. Em outras palavras, viver concretamente a resiliência. Não é isso que nos propomos cada ano?

Que o ano de 2012 que acaba de se inaugurar, seja oportunidade de perguntar o quanto de galinha existe em nós que não quer outra coisa senão ciscar o chão ou o quanto de águia ainda há em nós, disposta a rejuvenescer, a desenvolver resiliência e a confrontar-se corajosamente com os tropeços e as crises da vida” (Leonardo Boff).

Sigamos juntos!
Com Amor
Equipe da Cítara Saúde

Add comment janeiro 29th, 2012

Um presente do nosso querido amigo Ivo Minkovicius

Add comment janeiro 14th, 2012

Dia das crianças animado

Comemoramos com todas as crianças o próximo dia 12 de Outubro.
Como presente, compartilhamos a animação do nosso amigo Ivo Minkovicius.

 

Add comment outubro 7th, 2011

31 de Agosto – Dia do Nutricionista

Olá amigos.

Hoje se comemora o Dia do Nutricionista. Para celebrar, vou contar por que escolhi essa profissão. Que desejo tão poderoso foi esse que me fez voltar às aulas aos 34 anos.

Os nutricionistas são os anjos da guarda da nossa saúde. Esses profissionais apaixonados dedicam a vida a decifrar a interação dos alimentos com o nosso organismo e ensinam formas de colocar esses estudos em prática na nossa mesa do dia-a-dia, fazendo a vida mais saborosa e cheia de vitalidade.

Decidi me tornar uma nutricionista sustentável partindo da consciência da importância de uma alimentação saudável não só para mim, mas também para o planeta.

A dieta adequada é um dos principais pilares da boa saúde e depende da compreensão de que tudo o que somos é o resultado da síntese dos alimentos físicos e/ou energéticos que ingerimos. Os alimentos nutrem o funcionamento bioquímico do corpo, fornecendo os substratos necessários para os processos fisiológicos que nutrem a vida. O corpo físico, por sua vez, abriga e dá suporte energético para mente e a consciência.

Os alimentos são uma fonte importantíssima de energia vital. Quando são adequados para o nosso organismo e bem digeridos, contribuem para nos tornar saudáveis. Quando a dieta não é compatível com a nossa individualidade, sofremos de desequilíbrios físicos, psicológicos e energéticos. Nossa saúde, nosso peso ideal, nossas emoções, nossa clareza mental e nosso bem estar geral dependem do que conseguimos e do que não conseguimos digerir.

Formalmente, a definição da profissão diz: O nutricionista é o profissional de saúde com formação generalista que se vale do conhecimento da ciência da Nutrição para atuar zelando pela preservação, promoção, e recuperação da saúde de indivíduos e/ou grupos populacionais. Eu vou além e complemento aqui que um nutricionista deve atuar de forma sustentável praticando a ética ambiental, econômica e social.

A dieta sustentável deve garantir a qualidade nutricional, fomentar um sistema de produção de alimentos economicamente viável, ambientalmente sustentável e que assegure a dignidade humana. Uma dieta bacana deve ser:

•             Nutricionalmente equilibrada (quantidade, qualidade, harmonia, adequação)

•             Ambientalmente sustentável

•             economicamente viável

•             socialmente justa

•             culturalmente diversa

Do ponto de vista ecológico e espiritual, a escolha da dieta é baseada no conceito de não-violência e compaixão pelos seres vivos, enfatizando o auto-respeito. O nosso corpo é a casa da nossa alma e dos nossos genes. É a ferramenta pela qual a nossa alma expressa os seus talentos. Um corpo mal cuidado, mal alimentado, atrapalha os planos da nossa moradora mais nobre.

 Temos a tendência a viver a vida no piloto automático. Ingerimos grande parte da nossa dieta pela força do hábito. Sabemos que determinados hábitos não são saudáveis, mas não conseguimos combatê-lo porque o desejo impulsivo pelo prazer é muito forte. Sabemos que alguma coisa está errada e não nos sentimos no controle da sua saúde. Estamos convencidos de que alguma coisa precisa mudar, mas por onde começar?

Um plano eficiente de reeducação alimentar começa ao desligar o piloto automático e instalar a atenção plena. Devemos prestar atenção à potência da nossa fome, à quais alimentos nos caem melhor, qual é a quantidade de alimento que nos satisfaz e qual o sabor que mais nos agrada. Também convém sermos ser gratos por cada refeição que se apresenta, mesmo que ela não seja “tecnicamente ideal”.

O estilo de vida atual “exige” que a nossa atenção seja dividida simultaneamente entre diversos assuntos, o telefone, o computador, etc. Comemos automaticamente os alimentos mais práticos (alimentos requentados, encaixados, enlatados, reprocessados, e por aí vai…) e freqüentemente pulamos refeições ou as trocamos por um shake ou uma barra de cereais. A nossa mente está em qualquer lugar, menos à mesa. Estamos assistindo TV, ou numa reunião de negócios ou acessando os e-mails. Ou seja, a conexão entre a língua – esse poderoso órgão dos sentidos – e o cérebro está “fora do ar”.

Ao dedicar alguns segundos para praticar a atenção plena e manifestar gratidão pelo alimento, estaremos nos conectando com as sensações riquíssimas captadas pelo paladar, olfato, visão, tato e audição e também enviando vibrações positivas para toda a cadeia alimentar (o solo, o sol, a chuva, quem planta, quem colhe, transporta, vende, prepara…). Essa energia positiva influenciará a qualidade dessa refeição e nos permitirá fazer escolhas tecnicamente adequadas em relação à quantidade e combinação de grupos alimentares.

Estou com fome? Por que estou comendo? O que estou comendo? Estou feliz? Triste e ansioso?

A consciência alimentar é o caminho para quem deseja saúde e vitalidade. A caminhada começa com o primeiro passo e não importa quanto tempo será necessário para alcançar o objetivo final – o fundamental é que a direção esteja correta e que o caminho seja prazeroso e rico em experiências.

Quando perdemos a concentração ou comemos demais, apenas começamos novamente. Cada garfada, cada refeição, é uma chance para recomeçar.

Somos recriados a todo momento.

Cada refeição que fazemos revela uma oportunidade de melhorar ou lesar a nossa saúde.

 

Marise Berg

Terapeuta e Culinarista Ayurvedica, graduanda em Nutrição, dedicada à prática da Alimentação Natural e de Rasayana (rejuvenescimento).

E-mail: mariseberg@hotmail.com

Site: www.ayurvedicamente.com.br

Add comment agosto 31st, 2011

Previous Posts


Calendário de Posts

julho 2017
S T Q Q S S D
« jul    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  

Posts by Month

Posts by Category