Posts filed under 'Alimentação Ayurvédica'

Especiarias – Sabores, Aromas e Saúde

Queridos amigos. Na próxima semana teremos na Cítara a apresentação com a terapeuta ayurvedica e culinarista Marise Berg sobre o uso das especiarias para enriquecer a dieta com novos sabores, aromas e saúde.

Venham todos mas não deixem de se inscrever antecipadamente porque as vagas são limitadas. Até lá.

Apresentação e degustação

Quarta, 31 de Agosto das 16 às 18 h

Cítara Saúde
R: Padre João Gonçalves, 129
Vila Madalena
Tel: 3814-0700

Add comment agosto 23rd, 2011

Outono a caminho

Por Marise Berg

Segundo o Ayurveda, somos o microcosmo que reflete o macrocosmo e devemos adaptar a nossa rotina às variações climáticas e sazonais, pois elas exercem grande influência sobre os doshas.

Os períodos intersazonais são chamados de rutu sandhi, e correspondem aos 7 dias no fim e no começo das estações. Nesse intervalo, o regime alimentar correspondente à estação anterior deve ser descontinuado gradativamente e um novo regime deve ser adotado suavemente. A descontinuação repentina ou a brusca adoção de uma nova dieta pode provocar o surgimento de desequilíbrios, decorrente da não adaptação à mudança de hábito (asatmya). O inverso, a persistência de um mesmo hábito alimentar, indiferente das variações sazonais, pode gerar o agravamento dos doshas, pela incompatibilidade da dieta com o clima vigente.

 A transição do Verão para o Outono substituirá o clima intensamente quente e úmido pelo calor suave, vento e a secura até meados de Abril, quando a temperatura começará a baixar. Os atributos da nova estação influenciam fortemente a energia Vata em todas as pessoas podendo gerar constipação intestinal, ressecamento da pele, unhas e cabelos, dores articulares, rouquidão, insônia, ansiedade, medo e nervosismo, além da redução ou instabilidade do apetite.

A dieta é uma ferramenta importantíssima para reequilibrar o sistema tridosha quando este é afetado pelas variações climáticas.  

Nesse período recomenda-se de modo geral uma dieta quente, medianamente pesada, umedecida e nutritiva com predomínio de alimentos cozidos, untuosos (com adição de óleos saudáveis como o azeite de oliva), ingestão de líquidos mornos (chás e sucos cozidos), abundante em cereais como a aveia, laticínios (com temperos), frutas oleaginosas (com moderação). As refeições devem ser freqüentes, em pequena quantidade e regulares. Não deve haver mistura de muitos alimentos na mesma refeição, mas, variedade entre uma refeição e outra. Devem-se usar temperos picantes, mas suaves (açafrão, cardamomo, cebola cozida, coentro, cominho, endro, erva-doce, funcho, gengibre em pó), e sal.

As massagens ayurvedicas combinadas com sauna a vapor são recomendadas pela aplicação dos óleos corporais em temperatura morna, que mantém a nutrição da pele, cabelos e unhas. Outros benefícios são a estimulação da circulação, o relaxamento da musculatura e do sistema nervoso, aliviando os sintomas do estresse.

Add comment março 2nd, 2011

O iogurte e a saúde

Por Dra. Maísa Misiara e Marise Berg

Para a tradição hindu, as vacas são animais divinos, as “mães sagradas” que transformam as plantas e vegetais em leite nutritivo. O iogurte, sendo um laticínio, é considerado pela Ayurveda um alimento sattwico, um néctar para o organismo humano. Ele atua com efeito tônico sobre todos os tecidos e fortalece o sistema imunológico. Em quantidade adequada, estimula a digestão e restabelece a flora intestinal, incrementando a assimilação de diversos nutrientes pelo intestino. É nutritivo, digestivo, estimulante e adstringente. Nele predominam os sabores doce e ácido, a sua energia é fria e é pesado para a digestão.

Seu aspecto ácido, porém, implica em restrições para o seu consumo. É recomendável ingeri-lo em pequena quantidade e adicionando especiarias digestivas como o gengibre e cominho. Além disso, o iogurte não é compatível com frutas ácidas – morango, inclusive – melões, carne, peixe, manga, amido, queijo. É contra-indicado em caso de constipação e de desequilíbrios na pele, como acne e psoríase, e não deve ser consumido à noite (após o pôr-do-sol).  

O consumo excessivo de iogurte pode causar obstrução dos canais, constipação, muco, bile, acidez excessiva no sangue, congestão, acúmulo de gordura e retenção de líquidos. A ingestão de meio copo de iogurte por dia é ideal para qualquer dosha. Para neutralizar as suas propriedades obstrutivas, deve-se prepará-lo diluído em água e adicionando especiarias. Esse preparado, chamado buttermilk (iogurte lavado), atua beneficamente em casos de anorexia, desnutrição, má absorção e diarréia. Limpa os nadis, canais sutis de energia, aumenta o apetite, reduz a fadiga mental, suplementa o cálcio. Pode ser consumido diariamente por todos os doshas inclusive em casos de acidez no sistema digestivo.

Aprenda a preparar um buttermilk saboroso:

Iogurte fresco (quanto ais fresco, menos ácido) – 1 parte ;

Água – 3 partes

 Adicione gengibre fresco (um pedaço de 1 cm para cada copo); água de rosas (encontrada em qualquer lojas de produtos naturais);

Cardamomo em pó; folhas de hortelã frescas;  mel (para kapha ou pitta) ou açúcar mascavo (para vata) a gosto.

Bata todos os ingredientes no liquidificador e coe retirando a espuma que se formará na superfície.

Sirva fresco.

Add comment janeiro 31st, 2011

Santo gengibre

Por Marise Berg

Tenho visto que muitas culturas reconhecem o Gengibre como uma especiaria terapêutica de alta eficácia.

Pra Ayurveda ele é imbatível pois melhora a potência digestiva, elimina toxinas, absorve fluidos dos intestinos, aumenta o calor corporal, alivia dores e congestões.

Suas principais ações biomédicas são: diaforético (promove o suor), expectorante, carminativo (elimina gases), antiespasmódico, antiemético (ameniza náuseas, enjôos e vômito) é emenagogo (limpa a bile).

O suco fresco melhora a circulação periférica, causando vasodilatação e suor limpando as toxinas do plasma e do sangue.

O pó seco é usado como antiinflamatório em artrites.

Nas duas formas ele ajuda a eliminar muco das vias respiratórias e pulmões.

Ao ser associado a outras ervas, melhora a absorção do organismo (também funciona ao ser associado com medicamentos alopáticos).

O suco fresco pode ser obtido espremendo na centrífuga ou ralando no ralador e espremendo num pano limpo ou colocando o sumo ralado numa peneira e espremendo com uma colher.

Em todos os casos deve-se deixar o suco decantar por umas duas horas. Você vai perceber uma “resina” no fundo do recipiente. Beba só o suco e não misture essa resina que pode irritar a mucosa do estômago.

Misture 3 colheres (sopa) desse suco com 3 colheres (sopa) de limão e 5 colheres (chá) de mel (Pitta ou Kapha) ou açúcar mascavo (Vata). Esse suco pode ser tomado ao longo do dia (colheradas de café) ou misturado à água morna para fazer chá. Serve tanto em caso de congestão respiratória como em falta de apetite, enjôos e para eliminar toxinas (consulte o terapeuta sobre a dosagem e período de ingestão).

O uso de Gengibre é contra indicado em caso de Pitta agravado, úlceras, gravidez (pode ser ingerido em doses controladas e com acompanhamento médico), pressão alta, refluxo, doenças inflamatórias na pele e em caso de pedra na vesícula.

Referência: Ayurvedic Medicine – Sebastian Pole.

Add comment dezembro 15th, 2010

Como preparar leguminosas

Por Marise Berg
As leguminosas são grãos contidos em vagens, ricos em tecido fibroso, com envoltura celulósica que representa 2 a 5% dos mesmos, 50% de amido no seu interior e 23% de proteínas de baixo valor biológico. São fontes de ferro, vitaminas do complexo B, especialmente a B1 e B2 e contém mais proteínas que os outros alimentos de origem vegetal.
Ex: Feijões, soja, lentilha, grão de bico, ervilha, favas, tremoço, amendoim, etc.
 
O preparo 
As leguminosas cozidas tornam-se macias, com digestibilidade e sabor. Os grãos devem ser armazenadas em local seco, ventilado e protegidos de insetos e roedores.
A capa celulósica das leguminosas contém fatores antinutricionais – oxalatos, fitatos e saponinas – que alteram a permeabilidade do intestino e impedem a absorção de nutrientes. O processo de remolho (quente ou frio) elimina os fatores antinutricionais através da água, por isso, não se deve reaproveitar a água do remolho.
  • Catar os grãos, removendo pedrinhas e cascas que não devem ser ingeridas.
  • Lavar os grãos em água corrente.
  • Fazer remolho frio ou quente.
Remolho frio
Para cada parte de grãos, adicionar 3 partes de água. Deixar de molho de 8 a 12 horas na geladeira, desprezar a água, lavar novamente e finalizar o preparo (refogar ou cozinhar com temperos e sal).
Remolho quente
Para cada parte de grãos, adicionar 3 partes de água. Cozinhar em panela de pressão de 2 a 5 minutos (dependendo da dureza do grão). Desligar, desprezar a água, lavar novamente e finalizar o preparo (refogar ou cozinhar com temperos e sal).
A Ayurveda recomenda ainda, o uso de especiarias digestivas e com efeito carminativo (que combatem a formação de gases no intestino ou que facilita a sua expulsão) como o Louro em folha ou em pó, Cominho em grãos ou pó, Pimenta do reino (moída na hora) e Assafétida em pó.
Bom apetite.

Add comment novembro 17th, 2010

Consciência Alimentar

A Ayurveda tem uma visão exclusiva sobre a constituição psicofísica dos seres humanos. São reconhecidas cinco forças da natureza que se combinam dinamicamente para formar o nosso organismo: éter (ou espaço), ar, fogo, água e terra. Esta combinação, chamada Prakritti (ou dosha), organiza todas as funções físicas, mentais e emocionais necessárias para a vida.

Descobrir a nossa prakritti é uma oportunidade para entendermos melhor a nossa individualidade. Ao nos familiarizarmos com a nossa natureza, aprendemos a nos manter em harmonia, conquistando uma vida equilibrada, bem estar e saúde.

A dieta adequada – um dos principais pilares da boa saúde – depende dessa compreensão. Tudo o que somos é o resultado da síntese dos alimentos físicos e/ou energéticos que ingerimos. Eles fornecem para o organismo o material necessário para o processo metabólico que nutre a vida. São os melhores medicamentos. Quando são adequados para o nosso corpo e devidamente digeridos, contribuem para nos tornar saudáveis. Quando a dieta não é compatível com a nossa constituição individual, sofremos de desequilíbrios físicos e psicológicos. Nossa saúde, nosso peso ideal, nossa estabilidade emocional, nossa acuidade mental e nosso bem estar geral dependem do que conseguimos e do que não conseguimos digerir.

Mas, tão importante quanto a quantidade e a qualidade dos alimentos que ingerimos é o “por que” da nossa alimentação.

 Um plano de Consciência Alimentar começa ao desligar o “piloto automático” que vem nos guiando ao longo da vida moderna e instalar a atenção plena. Devemos prestar atenção à potência da nossa fome, à quais alimentos nos caem melhor, qual é a quantidade de alimento que nos satisfaz e qual o sabor que mais nos convém.

 Estou com fome? Do que me alimento? Por que estou comendo? O que estou comendo? Estou feliz? Triste ou ansioso? Como eu me sinto em relação à minha alimentação?

 A Consciência Alimentar é um poderoso instrumento para a manutenção da boa saúde e também para quem quer perder ou ganhar peso.  Ela é um “farol” que já existe dentro de nós. Só precisamos despertá-la. Vamos usá-la para iluminar a nossa vida a cada momento! Dessa forma, vamos encontrar o verdadeiro sabor da vida. Isso não vai nos ajudar somente a conquistar o bem estar físico – vai trazer à superfície a compreensão da riqueza e abundância da vida.

 Marise Berg - Terapeuta Ayurvedica dedicada à prática da Alimentação Natural Ayurvédica e de Rasayana (rejuvenescimento). Formada pela Escola Yoga Brahma Vidyalaya – Fundação Sri Vájera e CIYMAM (curso creditado pela International Academy of Ayurveda – Índia); com  extensões em Rasayana (rejuvenescimento) pela Kerala Ayurvedic Chikitsalayam – Pune, Índia; em Ayurveda pela Vishwanath Panchakarma Centre – Rishikesh, Índia; e em Nutrição Ayurvédica pela International Academy of Ayurveda – Pune, Índia. Atualmente cursando a graduação em Nutrição no Centro Integrado São Camilo, São Paulo.

4 comments setembro 6th, 2010

Buttermilk

Renovação e limpeza para o intestino

Por Sala de Ayurveda (blog)

O buttermilk ou Takra é uma bebida terapêutica a base de iogurte integral e água ou – no caso do buttermilk ocidental, no leitelho proveniente da elaboração do queijo e da manteiga. Segundo o Ayurveda, a principal característica do buttermilk é “laghu” – leve, possuindo os sabores doce, ácido e levemente adstringente, não causando peso quando consumido pois é facilmente digerido.

É indicado principalmente para a regulação da flora bacteriana intestinal e da capacidade de absorção e assimilação do organismo, no tratamento de anemias. O consumo continuo do buttermilk limpa e desintoxica os intestinos e alivia constipação. É rico em vitaminas do complexo B, cálcio, potássio e elementos probióticos, além de ser uma opção para pessoas com intolerância a lactose devido a baixa taxa deste açúcar estar presente no buttermilk. Fresco, é excelente bebida para Pitta, tonifica o intestino delgado e pode ser muito útil no tratamento de hemorróidas além de combater acne e espinhas – buttermilk é uma bebida com qualidades refrescantes, perfeitas para ser ingerido frio nas estações quentes. Acalma e estabiliza o dosha Vata. Pode ser ingerido ocasionalmente por kapha (devido a sua leveza) mais diluído em água do que para os outros biotipos.

O buttermilk nunca deve ser fervido, apenas amornado. É indicado pela Ayurveda, como antídoto no uso indevido de ghee e oleações excessivas ou mal aplicadas e utilizado como substituto do óleo na terapia do shirodhara para pessoas Pitta, sendo esta modalidade chamada de Takradhara.

Receitas

Buttermilk para Vata (salgado): 1 parte de iogurte integral 1 parte de água 1/3 colher de cafezinho de cominho, 1/4 colher de cafezinho de coentro, 2 pitadas de pimenta do reino, 1 pitada de sal

Buttermilk para vata (doce): 1 parte de iogurte integral 1 parte de água 1/3 de colher de cafezinho de cardamomo em pó, ½ colher de cafezinho de erva-doce em pó, ½ colher de sopa água de rosas.

Buttermilk para Pitta: 1 parte de iogurte 1 parte de água 1/3 de colher de cafezinho de coentro em pó, 2 colheres de água de rosas, 4 folhas de hortã fresca.

Buttermilk para kapha: 1 parte de iogurte 1 e ½ parte de água, ½ colher de cafezinho de canela, 1 pitada de cardamomo e de pimenta do reino. Não adoçar.

Modo de preparo: Bata todos os ingredientes no liquidificador por 4 minutos e deixe descansar por meia hora. Observe que uma leve camada gordurosa irá se formar na superfície, ela pode ser retirada com auxilio de uma colher, mas não é necessário. Evite adoçar. Todas as receitas acimas podem ser feitas substituindo o iogurte pelo leitelho.

Como fazer o leitelho – buttermilk mais leve pouquíssima gordura
1 colher de suco de limão para cada xícara de leite integral
Deixe a mistura descansar por algumas horas e coe separando o leite talhado do buttermilk. Pode ser guardado por 3 semanas na geladeira para o consumo. Quanto mais antigo, mais ácida a mistura vai se tornando.

Desintoxicação com buttermilk

Em terapias de desintoxicação, deve-se ingerir o buttermilk logo pela manhã. Ele deve estar morno – não esquente demais para não matar as bactérias do iogurte! E pode ser temperado com especiarias próprias para o seu dosha mas não deve ser adoçado, ingerir por 10 dias consecutivos.

Saiba mais sobre este e outros textos no blog:
www.saladeayurveda.blogspot.com

1 comment junho 2nd, 2010


Calendário de Posts

julho 2014
S T Q Q S S D
« abr    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  

Posts by Month

Posts by Category