Posts filed under 'Nutrição'

31 de Agosto – Dia do Nutricionista

Olá amigos.

Hoje se comemora o Dia do Nutricionista. Para celebrar, vou contar por que escolhi essa profissão. Que desejo tão poderoso foi esse que me fez voltar às aulas aos 34 anos.

Os nutricionistas são os anjos da guarda da nossa saúde. Esses profissionais apaixonados dedicam a vida a decifrar a interação dos alimentos com o nosso organismo e ensinam formas de colocar esses estudos em prática na nossa mesa do dia-a-dia, fazendo a vida mais saborosa e cheia de vitalidade.

Decidi me tornar uma nutricionista sustentável partindo da consciência da importância de uma alimentação saudável não só para mim, mas também para o planeta.

A dieta adequada é um dos principais pilares da boa saúde e depende da compreensão de que tudo o que somos é o resultado da síntese dos alimentos físicos e/ou energéticos que ingerimos. Os alimentos nutrem o funcionamento bioquímico do corpo, fornecendo os substratos necessários para os processos fisiológicos que nutrem a vida. O corpo físico, por sua vez, abriga e dá suporte energético para mente e a consciência.

Os alimentos são uma fonte importantíssima de energia vital. Quando são adequados para o nosso organismo e bem digeridos, contribuem para nos tornar saudáveis. Quando a dieta não é compatível com a nossa individualidade, sofremos de desequilíbrios físicos, psicológicos e energéticos. Nossa saúde, nosso peso ideal, nossas emoções, nossa clareza mental e nosso bem estar geral dependem do que conseguimos e do que não conseguimos digerir.

Formalmente, a definição da profissão diz: O nutricionista é o profissional de saúde com formação generalista que se vale do conhecimento da ciência da Nutrição para atuar zelando pela preservação, promoção, e recuperação da saúde de indivíduos e/ou grupos populacionais. Eu vou além e complemento aqui que um nutricionista deve atuar de forma sustentável praticando a ética ambiental, econômica e social.

A dieta sustentável deve garantir a qualidade nutricional, fomentar um sistema de produção de alimentos economicamente viável, ambientalmente sustentável e que assegure a dignidade humana. Uma dieta bacana deve ser:

•             Nutricionalmente equilibrada (quantidade, qualidade, harmonia, adequação)

•             Ambientalmente sustentável

•             economicamente viável

•             socialmente justa

•             culturalmente diversa

Do ponto de vista ecológico e espiritual, a escolha da dieta é baseada no conceito de não-violência e compaixão pelos seres vivos, enfatizando o auto-respeito. O nosso corpo é a casa da nossa alma e dos nossos genes. É a ferramenta pela qual a nossa alma expressa os seus talentos. Um corpo mal cuidado, mal alimentado, atrapalha os planos da nossa moradora mais nobre.

 Temos a tendência a viver a vida no piloto automático. Ingerimos grande parte da nossa dieta pela força do hábito. Sabemos que determinados hábitos não são saudáveis, mas não conseguimos combatê-lo porque o desejo impulsivo pelo prazer é muito forte. Sabemos que alguma coisa está errada e não nos sentimos no controle da sua saúde. Estamos convencidos de que alguma coisa precisa mudar, mas por onde começar?

Um plano eficiente de reeducação alimentar começa ao desligar o piloto automático e instalar a atenção plena. Devemos prestar atenção à potência da nossa fome, à quais alimentos nos caem melhor, qual é a quantidade de alimento que nos satisfaz e qual o sabor que mais nos agrada. Também convém sermos ser gratos por cada refeição que se apresenta, mesmo que ela não seja “tecnicamente ideal”.

O estilo de vida atual “exige” que a nossa atenção seja dividida simultaneamente entre diversos assuntos, o telefone, o computador, etc. Comemos automaticamente os alimentos mais práticos (alimentos requentados, encaixados, enlatados, reprocessados, e por aí vai…) e freqüentemente pulamos refeições ou as trocamos por um shake ou uma barra de cereais. A nossa mente está em qualquer lugar, menos à mesa. Estamos assistindo TV, ou numa reunião de negócios ou acessando os e-mails. Ou seja, a conexão entre a língua – esse poderoso órgão dos sentidos – e o cérebro está “fora do ar”.

Ao dedicar alguns segundos para praticar a atenção plena e manifestar gratidão pelo alimento, estaremos nos conectando com as sensações riquíssimas captadas pelo paladar, olfato, visão, tato e audição e também enviando vibrações positivas para toda a cadeia alimentar (o solo, o sol, a chuva, quem planta, quem colhe, transporta, vende, prepara…). Essa energia positiva influenciará a qualidade dessa refeição e nos permitirá fazer escolhas tecnicamente adequadas em relação à quantidade e combinação de grupos alimentares.

Estou com fome? Por que estou comendo? O que estou comendo? Estou feliz? Triste e ansioso?

A consciência alimentar é o caminho para quem deseja saúde e vitalidade. A caminhada começa com o primeiro passo e não importa quanto tempo será necessário para alcançar o objetivo final – o fundamental é que a direção esteja correta e que o caminho seja prazeroso e rico em experiências.

Quando perdemos a concentração ou comemos demais, apenas começamos novamente. Cada garfada, cada refeição, é uma chance para recomeçar.

Somos recriados a todo momento.

Cada refeição que fazemos revela uma oportunidade de melhorar ou lesar a nossa saúde.

 

Marise Berg

Terapeuta e Culinarista Ayurvedica, graduanda em Nutrição, dedicada à prática da Alimentação Natural e de Rasayana (rejuvenescimento).

E-mail: mariseberg@hotmail.com

Site: www.ayurvedicamente.com.br

Add comment agosto 31st, 2011

Especiarias – Sabores, Aromas e Saúde

Queridos amigos. Na próxima semana teremos na Cítara a apresentação com a terapeuta ayurvedica e culinarista Marise Berg sobre o uso das especiarias para enriquecer a dieta com novos sabores, aromas e saúde.

Venham todos mas não deixem de se inscrever antecipadamente porque as vagas são limitadas. Até lá.

Apresentação e degustação

Quarta, 31 de Agosto das 16 às 18 h

Cítara Saúde
R: Padre João Gonçalves, 129
Vila Madalena
Tel: 3814-0700

Add comment agosto 23rd, 2011

Fofinhos… mas não gordinhos.

Por Dra. Cristina Guttilla

 A alimentação saudável é fundamental não só para o crescimento e desenvolvimento com também para o perfeito funcionamento do organismo.

Infelizmente os hábitos alimentares estão muito desequilibrados e a obesidade aumentou muito nas 3 últimas décadas, principalmente em crianças ,adolescentes e adultos jovens .

O desmame precoce, a inatividade física e a introdução de alimentos inadequados em qualidade e quantidade são os fatores que mais contribuíram para a obesidade infantil. 

A criança , mesmo com a melhor das intenções ,geralmente é habituada a uma dieta idadequada e os efeitos do excesso de açúcar ,sal ,gordura ,proteínas e carboidratos vão repercutir para o resto da vida , tornando muito mais difícil a implementação da reorientação alimentar.

 Hoje sabemos que a alimentação, principalmente nos primeiros anos de vida , pode induzir efeitos tardios na saúde e em riscos de doenças na vida futura como obesidade, hipertensão ,diabetes , doenças coronarianas e várias outras.

Por isso é tão importante a atenção com o que se come ! Ajudar a criança à aprender a comer com prazer e qualidade é um dever e um grande carinho e esse cuidado constante irá repercutir pelo resto da vida…..

Saiba mais no post Obesidade Infantil.

Add comment março 15th, 2011

Outono a caminho

Por Marise Berg

Segundo o Ayurveda, somos o microcosmo que reflete o macrocosmo e devemos adaptar a nossa rotina às variações climáticas e sazonais, pois elas exercem grande influência sobre os doshas.

Os períodos intersazonais são chamados de rutu sandhi, e correspondem aos 7 dias no fim e no começo das estações. Nesse intervalo, o regime alimentar correspondente à estação anterior deve ser descontinuado gradativamente e um novo regime deve ser adotado suavemente. A descontinuação repentina ou a brusca adoção de uma nova dieta pode provocar o surgimento de desequilíbrios, decorrente da não adaptação à mudança de hábito (asatmya). O inverso, a persistência de um mesmo hábito alimentar, indiferente das variações sazonais, pode gerar o agravamento dos doshas, pela incompatibilidade da dieta com o clima vigente.

 A transição do Verão para o Outono substituirá o clima intensamente quente e úmido pelo calor suave, vento e a secura até meados de Abril, quando a temperatura começará a baixar. Os atributos da nova estação influenciam fortemente a energia Vata em todas as pessoas podendo gerar constipação intestinal, ressecamento da pele, unhas e cabelos, dores articulares, rouquidão, insônia, ansiedade, medo e nervosismo, além da redução ou instabilidade do apetite.

A dieta é uma ferramenta importantíssima para reequilibrar o sistema tridosha quando este é afetado pelas variações climáticas.  

Nesse período recomenda-se de modo geral uma dieta quente, medianamente pesada, umedecida e nutritiva com predomínio de alimentos cozidos, untuosos (com adição de óleos saudáveis como o azeite de oliva), ingestão de líquidos mornos (chás e sucos cozidos), abundante em cereais como a aveia, laticínios (com temperos), frutas oleaginosas (com moderação). As refeições devem ser freqüentes, em pequena quantidade e regulares. Não deve haver mistura de muitos alimentos na mesma refeição, mas, variedade entre uma refeição e outra. Devem-se usar temperos picantes, mas suaves (açafrão, cardamomo, cebola cozida, coentro, cominho, endro, erva-doce, funcho, gengibre em pó), e sal.

As massagens ayurvedicas combinadas com sauna a vapor são recomendadas pela aplicação dos óleos corporais em temperatura morna, que mantém a nutrição da pele, cabelos e unhas. Outros benefícios são a estimulação da circulação, o relaxamento da musculatura e do sistema nervoso, aliviando os sintomas do estresse.

Add comment março 2nd, 2011

Obesidade infantil

 Olá amigos.

A nossa pediatra – a Dra. Cristina Guttilla recomenda um filme muito educativo e divertido sobre a obesidade infantil, criado pelo nosso querido  amigo Ivo Minkovicius.

“Nos últimos anos a obesidade tornou-se um problema de saúde pública. Além do estigma psicossocial acarretado pela obesidade, as complicações clínicas e metabólicas geram um grande número de atendimentos nos serviços de saúde. Podemos citar as repercussões da obesidade como hipertensão arterial, dislipidemias, diabetes tipo II, doenças cardiovasculares, apnéia do sono, neoplasia de mama, cólon e reto.

É importante ressaltar a complexidade do assunto, pois a obesidade tem uma etiologia mista, na qual contribuem vários fatores que não têm ações independentes, portanto sofrem influência entre si.

A obesidade está ligada a uma predisposição genética e  fatores ambientais, como o hábito alimentar da família. O estilo de vida das pessoas influi fortemente quando o assunto em pauta é a obesidade. Assim, o sedentarismo aliado uma dieta hipercalórica, a ausência de regularidade no horário das refeições são fatores que de forma isolada ou combinada contribuem para o desenvolvimento da obesidade. O vínculo emocional mãe-filho afeta a nutrição da criança, pelo modo com que a mãe, demonstrando afeto ou preocupação, oferece alimentos como “prêmio” ou compensação. Dentre esses, o estilo de vida deve um componente importante na gênese da obesidade, pois este define os hábitos e costumes das crianças e adolescentes e os consolida nos pais. Esses hábitos e costumes podem ser elencados: não possuir horários fixos para comer; quantidade de comida preparada por refeição; qualidade da comida em relação à porcentagem de carboidratos, gorduras e proteínas;  número de refeições consumidas diariamente; quantidade de alimentos consumidos em cada refeição relacionada aos horários das mesmas; hábito de comer entre as refeições e  a qualidade e quantidade dos alimentos ingeridos nestes intervalos.

A mãe desempenha papel fundamental no aprendizado nutricional do filho. Esse aprendizado se desenvolve de forma ativa, quando a mãe realiza o controle da dieta da casa  e de forma passiva,  através da observação da criança quanto aos hábitos nutricionais da mãe ou da família1,20.

O aconselhamento e orientação das mães no   preparo e manuseio dos alimentos poderia determinar a efetividade de uma medida simples, como por exemplo orientação nutricional, no controle de um sério problema como é a obesidade22.

Assim, buscar os hábitos alimentares da família entre as mães de crianças obesas e definir o estado nutricional das mães dessas crianças ou adolescentes nos possibilitaria a  identificação  de alguns fatores  de risco para o desenvolvimento da obesidade na criança ou no adolescente.

Autor: Paulo Cavalcante Muzy

Add comment março 1st, 2011

O iogurte e a saúde

Por Dra. Maísa Misiara e Marise Berg

Para a tradição hindu, as vacas são animais divinos, as “mães sagradas” que transformam as plantas e vegetais em leite nutritivo. O iogurte, sendo um laticínio, é considerado pela Ayurveda um alimento sattwico, um néctar para o organismo humano. Ele atua com efeito tônico sobre todos os tecidos e fortalece o sistema imunológico. Em quantidade adequada, estimula a digestão e restabelece a flora intestinal, incrementando a assimilação de diversos nutrientes pelo intestino. É nutritivo, digestivo, estimulante e adstringente. Nele predominam os sabores doce e ácido, a sua energia é fria e é pesado para a digestão.

Seu aspecto ácido, porém, implica em restrições para o seu consumo. É recomendável ingeri-lo em pequena quantidade e adicionando especiarias digestivas como o gengibre e cominho. Além disso, o iogurte não é compatível com frutas ácidas – morango, inclusive – melões, carne, peixe, manga, amido, queijo. É contra-indicado em caso de constipação e de desequilíbrios na pele, como acne e psoríase, e não deve ser consumido à noite (após o pôr-do-sol).  

O consumo excessivo de iogurte pode causar obstrução dos canais, constipação, muco, bile, acidez excessiva no sangue, congestão, acúmulo de gordura e retenção de líquidos. A ingestão de meio copo de iogurte por dia é ideal para qualquer dosha. Para neutralizar as suas propriedades obstrutivas, deve-se prepará-lo diluído em água e adicionando especiarias. Esse preparado, chamado buttermilk (iogurte lavado), atua beneficamente em casos de anorexia, desnutrição, má absorção e diarréia. Limpa os nadis, canais sutis de energia, aumenta o apetite, reduz a fadiga mental, suplementa o cálcio. Pode ser consumido diariamente por todos os doshas inclusive em casos de acidez no sistema digestivo.

Aprenda a preparar um buttermilk saboroso:

Iogurte fresco (quanto ais fresco, menos ácido) – 1 parte ;

Água – 3 partes

 Adicione gengibre fresco (um pedaço de 1 cm para cada copo); água de rosas (encontrada em qualquer lojas de produtos naturais);

Cardamomo em pó; folhas de hortelã frescas;  mel (para kapha ou pitta) ou açúcar mascavo (para vata) a gosto.

Bata todos os ingredientes no liquidificador e coe retirando a espuma que se formará na superfície.

Sirva fresco.

Add comment janeiro 31st, 2011

Santo gengibre

Por Marise Berg

Tenho visto que muitas culturas reconhecem o Gengibre como uma especiaria terapêutica de alta eficácia.

Pra Ayurveda ele é imbatível pois melhora a potência digestiva, elimina toxinas, absorve fluidos dos intestinos, aumenta o calor corporal, alivia dores e congestões.

Suas principais ações biomédicas são: diaforético (promove o suor), expectorante, carminativo (elimina gases), antiespasmódico, antiemético (ameniza náuseas, enjôos e vômito) é emenagogo (limpa a bile).

O suco fresco melhora a circulação periférica, causando vasodilatação e suor limpando as toxinas do plasma e do sangue.

O pó seco é usado como antiinflamatório em artrites.

Nas duas formas ele ajuda a eliminar muco das vias respiratórias e pulmões.

Ao ser associado a outras ervas, melhora a absorção do organismo (também funciona ao ser associado com medicamentos alopáticos).

O suco fresco pode ser obtido espremendo na centrífuga ou ralando no ralador e espremendo num pano limpo ou colocando o sumo ralado numa peneira e espremendo com uma colher.

Em todos os casos deve-se deixar o suco decantar por umas duas horas. Você vai perceber uma “resina” no fundo do recipiente. Beba só o suco e não misture essa resina que pode irritar a mucosa do estômago.

Misture 3 colheres (sopa) desse suco com 3 colheres (sopa) de limão e 5 colheres (chá) de mel (Pitta ou Kapha) ou açúcar mascavo (Vata). Esse suco pode ser tomado ao longo do dia (colheradas de café) ou misturado à água morna para fazer chá. Serve tanto em caso de congestão respiratória como em falta de apetite, enjôos e para eliminar toxinas (consulte o terapeuta sobre a dosagem e período de ingestão).

O uso de Gengibre é contra indicado em caso de Pitta agravado, úlceras, gravidez (pode ser ingerido em doses controladas e com acompanhamento médico), pressão alta, refluxo, doenças inflamatórias na pele e em caso de pedra na vesícula.

Referência: Ayurvedic Medicine – Sebastian Pole.

Add comment dezembro 15th, 2010

Como preparar leguminosas

Por Marise Berg
As leguminosas são grãos contidos em vagens, ricos em tecido fibroso, com envoltura celulósica que representa 2 a 5% dos mesmos, 50% de amido no seu interior e 23% de proteínas de baixo valor biológico. São fontes de ferro, vitaminas do complexo B, especialmente a B1 e B2 e contém mais proteínas que os outros alimentos de origem vegetal.
Ex: Feijões, soja, lentilha, grão de bico, ervilha, favas, tremoço, amendoim, etc.
 
O preparo 
As leguminosas cozidas tornam-se macias, com digestibilidade e sabor. Os grãos devem ser armazenadas em local seco, ventilado e protegidos de insetos e roedores.
A capa celulósica das leguminosas contém fatores antinutricionais – oxalatos, fitatos e saponinas – que alteram a permeabilidade do intestino e impedem a absorção de nutrientes. O processo de remolho (quente ou frio) elimina os fatores antinutricionais através da água, por isso, não se deve reaproveitar a água do remolho.
  • Catar os grãos, removendo pedrinhas e cascas que não devem ser ingeridas.
  • Lavar os grãos em água corrente.
  • Fazer remolho frio ou quente.
Remolho frio
Para cada parte de grãos, adicionar 3 partes de água. Deixar de molho de 8 a 12 horas na geladeira, desprezar a água, lavar novamente e finalizar o preparo (refogar ou cozinhar com temperos e sal).
Remolho quente
Para cada parte de grãos, adicionar 3 partes de água. Cozinhar em panela de pressão de 2 a 5 minutos (dependendo da dureza do grão). Desligar, desprezar a água, lavar novamente e finalizar o preparo (refogar ou cozinhar com temperos e sal).
A Ayurveda recomenda ainda, o uso de especiarias digestivas e com efeito carminativo (que combatem a formação de gases no intestino ou que facilita a sua expulsão) como o Louro em folha ou em pó, Cominho em grãos ou pó, Pimenta do reino (moída na hora) e Assafétida em pó.
Bom apetite.

Add comment novembro 17th, 2010

Consciência Alimentar

A Ayurveda tem uma visão exclusiva sobre a constituição psicofísica dos seres humanos. São reconhecidas cinco forças da natureza que se combinam dinamicamente para formar o nosso organismo: éter (ou espaço), ar, fogo, água e terra. Esta combinação, chamada Prakritti (ou dosha), organiza todas as funções físicas, mentais e emocionais necessárias para a vida.

Descobrir a nossa prakritti é uma oportunidade para entendermos melhor a nossa individualidade. Ao nos familiarizarmos com a nossa natureza, aprendemos a nos manter em harmonia, conquistando uma vida equilibrada, bem estar e saúde.

A dieta adequada – um dos principais pilares da boa saúde – depende dessa compreensão. Tudo o que somos é o resultado da síntese dos alimentos físicos e/ou energéticos que ingerimos. Eles fornecem para o organismo o material necessário para o processo metabólico que nutre a vida. São os melhores medicamentos. Quando são adequados para o nosso corpo e devidamente digeridos, contribuem para nos tornar saudáveis. Quando a dieta não é compatível com a nossa constituição individual, sofremos de desequilíbrios físicos e psicológicos. Nossa saúde, nosso peso ideal, nossa estabilidade emocional, nossa acuidade mental e nosso bem estar geral dependem do que conseguimos e do que não conseguimos digerir.

Mas, tão importante quanto a quantidade e a qualidade dos alimentos que ingerimos é o “por que” da nossa alimentação.

 Um plano de Consciência Alimentar começa ao desligar o “piloto automático” que vem nos guiando ao longo da vida moderna e instalar a atenção plena. Devemos prestar atenção à potência da nossa fome, à quais alimentos nos caem melhor, qual é a quantidade de alimento que nos satisfaz e qual o sabor que mais nos convém.

 Estou com fome? Do que me alimento? Por que estou comendo? O que estou comendo? Estou feliz? Triste ou ansioso? Como eu me sinto em relação à minha alimentação?

 A Consciência Alimentar é um poderoso instrumento para a manutenção da boa saúde e também para quem quer perder ou ganhar peso.  Ela é um “farol” que já existe dentro de nós. Só precisamos despertá-la. Vamos usá-la para iluminar a nossa vida a cada momento! Dessa forma, vamos encontrar o verdadeiro sabor da vida. Isso não vai nos ajudar somente a conquistar o bem estar físico – vai trazer à superfície a compreensão da riqueza e abundância da vida.

 Marise Berg - Terapeuta Ayurvedica dedicada à prática da Alimentação Natural Ayurvédica e de Rasayana (rejuvenescimento). Formada pela Escola Yoga Brahma Vidyalaya – Fundação Sri Vájera e CIYMAM (curso creditado pela International Academy of Ayurveda – Índia); com  extensões em Rasayana (rejuvenescimento) pela Kerala Ayurvedic Chikitsalayam – Pune, Índia; em Ayurveda pela Vishwanath Panchakarma Centre – Rishikesh, Índia; e em Nutrição Ayurvédica pela International Academy of Ayurveda – Pune, Índia. Atualmente cursando a graduação em Nutrição no Centro Integrado São Camilo, São Paulo.

4 comments setembro 6th, 2010


Calendário de Posts

setembro 2017
S T Q Q S S D
« jul    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  

Posts by Month

Posts by Category